quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Auto ajuda

Tenho aprendido muito comigo mesma ultimamente, já faz um tempo que passei por situações muito difíceis e dolorosas e só agora que consegui reagir e recomeçar.
Hoje sinto que sou capaz de enfrentar qualquer problema, a mudança foi tanta que tenho me comportado de modo totalmente diferente, agora sim parece que me reconheço, estou me tornando a pessoa que sonho em ser.
Há uma semana me dei o luxo de sair de casa, ir até a papelaria mais próxima para comprar um caderno que eu chamo de "auto ajuda", porque no fim das contas, sou eu que preciso me auto ajudar mesmo! Nele escrevo tudo o que aprendi com essa vivência, fiz isso para nunca mais me esquecer de nem uma vírgula, porque não quero ter que aprender de novo da maneira mais difícil.  E nesse momento fiquei com vontade de compartilhar com vocês o último parágrafo que escrevi, ele é assim:

Com uma mente fraca e negativa tudo fica ruim, toda situação é desagradável e difícil. Mas com uma mente forte e feliz tudo é bom, tudo é divertido, os obstáculos se tornam desafiadores, mas no sentido de nos aguçar, de ficarmos com vontade de vencê-los, as críticas não nos abalam e o que falam de nós não nos incomoda.
A verdade é que quando estamos bem, tudo vai bem!

Espero que isso ajude a você que talvez tenha entrado nesse blog por acaso e está com algum problema, que agora está só se distraindo na internet para espairecer. Espero que a partir de agora você faça como eu resolvi fazer: SE AUTO AJUDE SEMPRE!
Se tiver gostado do que leu aqui hoje e sentiu que algo floresceu dentro de você, não deixe de comentar comigo, ok? Se tiver alguma dúvida ou algo que eu possa ajudar também me coloco a disposição.
Um beijo a todos e tenham fé em Deus, que tudo logo melhora!

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Oi blog


Faz aproximadamente 1 ano que eu não publico neste blog, mas hoje me deu uma saudade, fazia tempo que eu não pensava neste espaço que considero tão íntimo, porque ele é todo "eu". Quando criei o blog a minha motivação era justamente colocar para fora algumas coisas que eu tenho a dizer, compartilhei de tudo um pouco por aqui, mas por incontáveis motivos me afastei de tudo e de todos, mas isso é tema para uma próxima postagem, por agora, tudo o que eu quero dizer é que estou de volta e pretendo recuperar a velha forma!
Nos vemos por aqui.

sábado, 8 de março de 2014

Drawings Lovers - Princesas


Março chegou, e o DL esse mês elegeu um tema muito legal: e se as princesas da Disney fossem pessoas comuns? Eu queria ter mais inspirações, mas eu só pensava que se a Bela adormecida fosso real ela seria EU, mais adormecida do que bela! A Branca de Neve seria a Duda minha filha, que é bem branquinha da boquinha bem vermelhinha, a mais bela do meu reino e acho que do mundo inteiro!!!
Mas se a Rapunzel fosse real ela seria Cosplayer da Sailor Moon: (em processo de finalização)
E a Pequena Sereia Ariel, provavelmente estaria afogada se passasse tanto tempo assim debaixo d'água, mas como eu sou legal, desenhei ela como surfista: (em processo de finalização)

Vejam também os desenhos do Jean Fantuci e da Jaqueline Noele

sábado, 15 de fevereiro de 2014

Neura

Eu como toda pessoa comum, tenho lá minhas esquisitices, mas que fiquei claro de que é assim como qualquer pessoa! Hahaha.
E se tem uma coisa que eu não gosto são de psicólogos, terapeutas, psiquiatras e todas as classificações e níveis de hierarquia dessa raça... E sim É PRECONCEITO, pois nunca frequentei o consultório de nenhum deles, mas não julgo ninguém que vai, e pra ser sincera já indiquei a ajuda desses profissionais pra muitas pessoas, amigos e parentes inclusive, digo isso antes que esse paragrafo seja mal interpretado, a questão é que não rola pra mim.
Acho que esse trauma se explica na adolescência, quando minha irmã arranjou um namorado que estudava psicologia (Deus, que ele não leia este post, pois hoje somos amigos), eu detestava todo e qualquer namorado dela enquanto namorava ela, só perdi a guerra para o meu atual cunhado, que é um cara legal, mas eu não queria que ninguém "roubasse" ela de mim.
...Pois bem, o namorado iniciante na psicologia, estudava e voltava efervescente tentando analisar, aplicar as teorias, ler o comportamento não verbal com tudo e todos, e eu que já não gostava dele percebo que o garotão tentava me decifrar, pra mim era o fim da picada.  
Então é assim que me sinto em relação a essa classe de profissionais, logo imagino eles me julgando, pensando que tipo de pessoa eu sou, que tipo de personalidade me encaixo e o porque eu tenho dificuldades em certas áreas, porque não conserto isso, remendo aquilo, não jogo fora esse pensamento... Coisas bem invasivas. Sei que nem deve ser assim, pois se amigos que a gente nem paga, gastam um tempão ouvindo as bobagens que fazemos, e depois sempre tem um conselho pra dar,  imagine uma pessoa que tem vocação pra isso e é remunerada... Conheço muita gente que frequenta e gosta demais, e muita gente que nunca foi, mas morre de vontade de ir.
Até aqui você pensou que já tinha entendido tudo sobre a minha esquisitice, não é? Mas tem mais: eu não frequento, mas descobri sem querer que amo ler livros dessa classe profissional, o primeiro que li foi emprestado por uma amiga e vocês não tem noção da transformação que ocorreu dentro de casa...
Mas para esse post não virar um livro eu comento mais sobre os livros de terapeutas, psicologos e afins em outro post e as mudanças que causaram em mim, porque tenho a impressão que qualquer paragrafo com informações novas sobre mim, vocês vão ter a certeza de que preciso de ajuda profissional! hahaha
Mais detalhes um post próximo...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails