terça-feira, 3 de novembro de 2009

Proposta

Como você já deve ter percebido, você está no blog maluquet na net, seja bem vindo!
Ele recebe esse nome porque eu queria que ele fosse um mosaico de relatos da vida, idéias vagas, viagens na maionese...  E enfim, coisas doidas, livres, espontaneas e que são comuns a vida de todo invdividuo hoje em dia, por isso lhes faço uma proposta: espero que você deixe um relato de uma experiência de vida, que pode ser aventuras com os amigos, uma gafe, um dia que você mandou aquela cantada velha e se deu bem, algo particular e pessoal, mas tão incrível, que você deve partilhar, um pedacinho que compõe o que você é, uma parte da sua história registrado aqui, e que me deixaria muito honrada!
E mais do que compartilhar, registrando seu momento especial, você estará revivendo alegrias e sentimentos bons que  devem ser cultivados, tenho certeza de que quem quer que leia vai montar um filme na cabeça e se deliciar com a sua epopéia!
Achei justo eu mesma inaugurar!
Então lá vai:
Eu tinha mais ou menos uns onze anos e tava na casa da minha tia, ela morava numa rua de chão batido, tinha chovido e a rua tava um barro só. Eu e minha priminha Mila, que é uns cinco anos mais nova que eu, já estavamos cansadas de brincar dentro de casa. Então a Mila me chamou pra andar de bicicleta na rua e eu topei, a gente só podia ficar na rua mesmo, nem dar volta no quarteirão, nem nada, que era pra não sair da vista da minha tia.
Quando a gente saiu lá fora a rua tava cheia de poças d'água, e uma era muito grande, muito tentadora, se é que vocês me entendem...  A Mila me disse "vamos brincar de passar com a bicicleta em cima da poça?", eu, toda certinha disse "não, depois a sua mãe mata a gente, a gente vai ficar toda suja", mas ela usou as palavras mágicas que foram: "mas eu já pedi pra minha mãe e ela deixou", depois disso foi só alegria, a gente tomava uma boa distância pra ganhar velocidade e partia com tudo pra cima da poça, voava barro pra todo lado, a gente deve ter ficado com marca de lama até o pescoço, só ficou faltando a gente rolar no chão.
A brincadeira só acabou quando deu fome, e a gente voltou pra casa da minha tia emporcalhando todo o chão, quando ela viu a gente, ela deu tanta bronca que eu queria me esconder, e como eu era a mais velha as broncas  se concentraram em mim.
De tudo que minha tia falou só consigo lembrar de duas coisas, a primeira: "Vão já tomar banho" e a segunda: "Quem foi que deu ordem?"
E foi assim que eu fiquei sabendo que minha tia não tinha deixado a gente se sujar, e eu cai na conversa da safada da minha priminha de apenas seis anos aproximadamente, mas quem ia acreditar ?
Eu bem que devia ter desconfiado!

2 comentários:

  1. um dia queimei meu dedo no ferro de passar roupa e passei hipoglós, depois fui pra escola com o dedo branco e o pessoal pegou no meu pé porque eu confundi que o produto que é bom pra assadura e não queimadura

    E que priminha essa sua, heim!
    Joana*

    ResponderExcluir
  2. Bom, minha história é bem "maluquete", kkkk ...
    Tinha eu meus 10 anos e minha prima(sempre tem uma prima no meio né?kkk) tinha 9 aninhos. Na época, nossa tia era casada com o primeiro marido e morava em São Paulo com ele e o filho.
    Certa vez ela veio a Ribeirão Preto(minha cidade) passar uns dias e meu tio(irmão dela), reuniu todos os amigos deles, amigos em comum que eles têm. Um desses amigos, era o Carlinhos. Na época seus 32 anos!!! O "cara", aos meus olhos e aos olhos de minha prima era um DEUS GREGO. A gente se apaixonou aos 10 anos de idade!!! Hahahahahaha. Ficávamos sonhando com ele no mesmo dia que havíamos conhecido.
    Esqueci de contar que minha tia havia trazido de Sampa a babá do meu primo, chamada Valdirene que tinha 17 anos naquele tempo. A dita cuja também se apaixonou- paixão adolescente a dela - , kkkkkkk ...
    Minha avó que nos flagrou falando dessa súbita paixão, foi fazer uma graça e contou pra TODO MUNDO, inclusive o tal de Carlinhos que estávamos apaixonadas. Como se não bastasse isso, mandou a gente confessar em público, achando aquilo bonitinho. No entanto já tínhamos senso de ridículo e sentimento de vergonha, hahahah ...O Carlinhos, mais o resto da galera deu muita risada, claro! Mais vergonhoso ainda deve ter sido pra Valdirene, que já era "mocinha", hahaha.
    Mas nós achávamos que a vergonha maior havisa sido dela.
    Os anos se passaram. Minha tia se separou do primeiro marido. Ok.
    tempos depois, uma paixão aconteceu !!!
    Quem era o casal novo?
    Sim!!! Minha tia e o CARLINHOS!!!
    Tínhamos 16 nessa época.
    Primeira vez que o Carlinhos entrou como namorado da nossa tia, na família, o primeiro comentário foi da minha avózinha querida, claro: "Lembra quando vocês eram crianças e gostavam do Carlinhos?", kkkkkkkkkkkkkkk ...
    Meu Deus, pra que remexer nisso? Vergonhoso! E é algo que levamos até hoje, pois toda vez que nos encontramos em reuniões familiares(hoje ele é marido da minha tia, kkk), minha avó faz questão de relembrar essa história. O Carlinhos ri, eu rio de sem graça, minha prima tbm e nossos namorados já se sentem constrangidos de TANTO minha avó falar, kkkkkkk...

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails